PRISMAS OU FILTROS (OVERLAYS) NO TRATAMENTO DA DISLEXIA ?

Existem inúmeras condições físicas e psicofísicas que interferem no Processamento Visual. Alterações Proprioceptivas, Perceptuais, Neurofuncionais, repercutem na forma como o indivíduo enxerga aquilo que vê. 

É preciso avaliar corretamente cada caso antes de decidir. Esta decisão depende do Oftalmologista que realiza o exame do Processamento Visual Muitas vezes são necessárias associações ou mudanças, conforme o desenvolvimento da escolaridade do paciente.

Os sintomas, via de regra, são comuns, traduzindo para o examinador menos experiente a impressão de tratar-se desta ou daquela doença. Muitos casos são tratados de forma arbitrária minimizando sintomas sem atingir o problema.

A prescrição dos prismas também é criteriosa. Prismas são lentes especiais que desviam o feixe de luz de sua rota original, obrigando o olho a mudar a posição viciosa que ocupa, promovendo um relaxamento da muscultura que está excessivamente contraída em virtude de uma disfunção proprioceptiva. Para que tenha efeito adequado, o prisma deve ser montado corretamente pelo óptico responsável. A armação dos óculos também é importante e tem peculiaridades exclusivas. No Brasil existem poucos ópticos treinados para esta especificidade.

O principal pesquisador sobre os efeitos da Propriocepção sobre a leitura, escrita e postura é o Médico Oftalmologista Português Orlando Alves da Silva. Desde 1976 ele acompanha situações bem sucedidas de tratamento com prismas em milhares de pacientes de vários países. No Brasil encontramos profissionais (médicos para realizar o exame e ópticos para montar os óculos) devidamente treinados pelo Prof Orlando em alguns estados. Os sintomas habituais dos distúrbios proprioceptivos são caracterizados por  dificuldade de leitura, escrita e matemática, dificuldade de compreensão de textos, problemas de memorização no estudo e no trabalho, tontura, dor, sensibilidade à luz de qualquer tipo, estresse e esforço ao realizar tarefas rotineiras (atividades visuais, assistir TV, visualização de cores, uso de computador), dificuldade para acompanhar objetos em movimento, dificuldade na leitura de partituras, percepção de profundidade comprometida, dificuldades para seguir a leitura apenas com os olhos.

As lentes prismáticas não interferem na quantidade da visão. O paciente não irá referir melhora ou piora da acuidade visual. Ele começará a sentir os efeitos benéficos destes óculos nas atividades diárias e escolares.

Os filtros coloridos foram descritos por diversos autores. Os neurologistas Wilkinson e Stein na Inglaterra e a Psicóloga Irlen nos Estados Unidos são os maiores pesquisadores nesta área. Esta última descreveu a chamada Sindrome de Irlen caracterizada por  sensibilidade à luz (luz do sol, luzes fortes, luzes fluorescentes, faróis, iluminação das ruas), estresse e esforço ao realizar tarefas rotineiras (atividades visuais, assistir TV, visualização de cores, uso de computador), dificuldade para acompanhar objetos em movimento, dificuldade na leitura de partituras, percepção de profundidade comprometida, dificuldades para seguir a leitura apenas com os olhos.
Os filtros propostos pela Psicóloga Irlen podem ser usados na forma de óculos ou de overlays. Overlays são placas plásticas impregnadas de corante específico que são colocadas sobre a folha de leitura. Para que se conheça a coloração apropriada o paciente deve ser avaliado por um screener devidamente treinado para este fim. Nossa clínica conta com estes profissionais qulificados. Para impregnar as lentes de óculos com o corante específico é necessário enviá-las para o laboratorio da Psicóloga Irlen nos Estados Unidos.